Jovem de 17 anos de Nova Iguaçu coleciona aprovações em concursos públicos

Ericson Pariz, de 17 anos, coleciona aprovações em concursos públicos Foto: Guilherme Pinto / Extra/Agência O Globo

Disciplina. Para o estudante Ericson Pariz, morador de Nova Iguaçu, a palavra explica por que ele se tornou um concurseiro de sucesso. Aos 17 anos, o adolescente, que passou em primeiro lugar para a graduação em Direito na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), acumula aprovações em processos seletivos de outras instituições, como Universidade Federal Fluminense (UFF), Banco do Brasil e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ex-aluno do Curso Progressão Autêntico, ele diz que ter frequentado o preparatório foi fundamental para os resultados.

— O cursinho ajuda bastante, porque você fica junto de uma grande quantidade de pessoas que têm o mesmo objetivo. E ainda há o incentivo dos professores. Então, é mais fácil se preparar assim do que sozinho, ainda mais quando se é bem novo, porque o risco de se distrair é maior — afirma.

A primeira experiência de Ericson com concursos foi no ano em que cursou a última série do Ensino Fundamental. Além da escola regular, o menino fez aulas complementares, o que lhe rendeu uma vaga no curso técnico em informática do Cefet. Em 2015, a preparação para o Enem foi intensa.

Ericson Pariz sempre foi dedicado aos estudos Foto: Guilherme Pinto / Extra/Agência O Globo

— Eu acordava às 5h30m, ia para a escola e já almoçava lá. Depois, entrava no cursinho às 13h30m e saía às 18h. Em alguns dias, ficava até mais tarde para assistir a outras aulas e só chegava em casa às 22h. Senão, voltava logo e estudava mais sozinho — conta o jovem, que precisou abrir mão de sono e de jogar no computador: — Sair era raro, mas, se eu me organizasse, dava para fazer de tudo um pouco.

Mesmo focado no vestibular, Ericson resolveu se aventurar em outras seleções. Quando viu o edital do Banco do Brasil, candidatou-se a uma das vagas de técnico de operações.

— Eu sempre gostei de fazer provas, porque não fico nervoso. Como o conteúdo era só português, matemática e informática, que eu já estudava no curso técnico, eu não precisaria me preparar para o concurso, só dar uma revisadinha. Fui bem e passei — lembra.

Motivado e incentivado pelos pais, que são professores, o iguaçuano também se inscreveu no concurso do IBGE.

— O IBGE tinha vaga para Nova Iguaçu, então resolvi fazer a prova — diz: — Fiquei contente com a aprovação, mas imaginava que teria um resultado legal, porque conhecia bem a matéria.

Ericson e o pai, Márcio Pariz: incentivo Foto: Guilherme Pinto / Extra/Agência O Globo


Para o jovem, quem quer ter sucesso em seleções precisa manter uma rotina de estudos para estar sempre com os conteúdos na mente.

— As pessoas ficam impressionadas, mas desde cedo eu era bom aluno e me dedicava. Os resultados começam a aparecer naturalmente depois — justifica Ericson, que agora concilia a graduação e o estágio em um escritório de advocacia com a preparação para um concurso do Tribunal de Contas do Município.



Via Extra




Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »