Câmera despenca de cabo no Parque Olímpico e deixa feridos

Menina é transferida para o Hospital Lourenço Jorge após ficar ferida em acidente com câmera no Parque Olímpico (Foto: Cristina Boeckel / G1)



Uma câmera que ficava suspensa em cabos de aço despencou no Parque Olímpico na tarde desta segunda-feira (15). Pelo menos sete pessoas ficaram feridas, segundo a organização da Rio 2016. Umas das feridas é uma criança de 11 anos. Quatro pessoas precisaram ser transferidas para hospitais, mas nenhuma delas apresentava ferimentos graves.  

No momento do acidente, havia vento no Parque Olímpico. Segundo o Inmet, às 15h houve registro de rajada forte (53,6 km/h) em Marambaia, também na Zona Oeste. Cinco feridos foram atingidos pelo cabo que sustentava a câmera e duas pelo próprio equipamento. 

O acidente foi perto da Arena Carioca 1, onde ocorrem as partidas de basquete. Os feridos foram levados por bombeiros e por membros da Força Nacional, inicialmente para um posto médico no próprio Parque Olímpíco.

Às 15h30, as vítimas começaram a ser transferidas para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Ao todo, quatro pessoas foram transferidas.

O equipamento é de responsabilidade da empresa Olympic Broadcasting Service (OBS), que pertence ao Comitê Olímpico Internacional (COI). A empresa ainda não se posicionou sobre o caso. As câmeras suspensas fazem imagens em todas as arenas da Olimpíada.

Antes da câmera despencar totalmente, parte da área já havia sido isolada porque, mais cedo, o cabo de aço que a sustentava havia se rompido. Segundo a equipe de reportagem da TV Globo, representantes da OBS haviam descartado o risco de queda mesmo após a ruptura do cabo.

O público que passava pelo local ouviu um estrondo. Segundo Raul Rocha, o marido de uma das vítimas, a dentista Adriana Rocha, de 48 anos, as pessoas foram atingidas pelo cabo da câmera.

"Ela está nervosa, dizendo que está doendo pela pancada. Deve ter sido um trauma", afirmou Raul. "Eu cheguei a pensar que era alguma coisa elétrica. Eu senti como se fosse uma chicotada. Ficou um ferimento aberto. Ainda bem que meu filho não foi ferido", contou Adriana, com uma mancha do cabo na camiseta.

Mãe de Ana Luiza, a menina atingida, Cristina Campos também afirmou que o cabo feriu as vítimas.

“O cabo caiu na perna dela, ralou do joelho para baixo. Eles vão levar ela pro [hospital] Loureço Jorge para fazer uma avaliação, porque a perna dela está muito vermelha. Foi uma gritaria, eu tentei puxar ela, mas o fio já tinha passado. Pensei que fosse de alta tensão, fiquei desesperada”.

Outros dois feridos foram identificados comoRodrigo de Souza Silva, de Foz de Iguaçu (PR) e Jussara Henrique, professora aposentada de Florianópolis (SC).

Vítimas em choque



O técnico de ginástica da Grã Bretanha Chris Adams estava no local quando a câmera despencou. Ele contou que as vítimas estavam em estado de choque após serem atingidas.

"Houve uma grande comoção, muitas pessoas começaram a gritar e correram para o local. A equipe médica chegou bem rápido e foram muito bons. As vítimas estavam chocadas, não conseguiam dizer o que tinha acontecido. Elas estavam surpresas e eu também fiquei surpreso na hora", afirmou Adams.

"O cabo arrebentou e fez um barulho forte. Eu estava olhando e escutei um barulho. Foi quando vi a câmera caindo. Deu para ver sangue no rosto delas", disse o técnico.

A carioca Eliane Lentine estava próxima ao local e afirmou que teve que desviar dos cabos da câmera que desabou. De acordo com ela, uma das vítimas estava com o nariz sangrando e outra teria colocado um colar cervical de imobilização.

"Eu estava na passarela, aí tinha uns cabos. Na hora em que o objeto caiu, acho que foi uma câmera, as cordas saíram balançando. As cordas passaram perto de mim, eu tive que desviar. Infelizmente uma das moças foi atingida. Ela estava com o nariz sangrando", lembrou.

Por volta das 14h30, as duas vítimas eram socorridas no próprio Parque Olímpico. O estado de saúde das vítimas ainda não tinha sido informado pela organização dos jogos até as 15h.

Representantes da Rio 2016 afirmaram que já tinham entrado em contato com a OBS e aguardavam posicionamento da empresa. A organização dos jogos ressaltou que apenas oferece a estutura de concreto baixo para as câmeras, mas o equipamento é da OBS. 

A OBS informou que enviou três equipes para o local para apurar o que aconteceu, mas ainda não tem informações para divulga. Às 16h, a Polícia Civil começou uma perícia no local da queda da câmera. Segundo informações da 42ª Delegacia de Polícia, um procedimento foi instaurado para apurar o acidente.



A dentista Adriana, atingida pelo cabo da câmera, sai do posto médico antes de ser transferida para o hospital (Foto: Cristina Boeckel/G1)


Via G1
15/08/2016


Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »