DH lança aplicativo para ajudar a solucionar crimes na Baixada Fluminense




Com apenas dois meses de funcionamento, e pouca divulgação, agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) comemoram o sucesso do aplicativo “Falaaí” que tem ajudado na elucidação de crimes ocorridos na região. O mecanismo, por enquanto, só está disponível para Android e teve, no período, mais de mil downloads. A tecnologia serve para o cidadão denunciar ou contribuir, anonimamente, com informações que levem a autoria de crimes ou a localização de desaparecidos.


Panfletos são distribuídos em locais onde DH vai para checar crimes Foto: Cléber Júnior / Extra

— O que temos feito para divulgar o aplicativo é distribuir panfletos nos locais de crime que a DH vai. Mesmo assim, estou muito feliz com o retorno que estamos tendo. Posso dizer que 80% das informações que chegam pelo Falaaí são certeiras — garante o inspetor de polícia Roberto Calleia, de 40 anos, que ajudou a desenvolver o app.

O “Falaaí” recebe denúncias referentes a assassinatos, porte ilegal de arma, desaparecimento, foragidos e outros crimes praticados na Baixada Fluminense. Caso a ocorrência denunciada não seja de competência da especializada, as informações são repassadas para a delegacia responsável. O usuário não precisa se identificar para relatar as informações. Ele também pode deletar o aplicativo assim que terminar de utilizar.

O Núcleo de Inteligência da DHBF também disponibiliza um número de WhatsApp do Falaí (21 96511-7586) para ocorrências. Apesar de neste caso aparecer o número do telefone de quem está denunciando, o anonimato é garantido.

— A qualidade da informação que recebemos por esses meios é altíssima — explica Calleia.

Inspiração do Piauí

Inspiração para aplicativo veio do Piauí Foto: Cléber Júnior / Extra


O aplicativo foi desenvolvido inicialmente pelo delegado Alessandro Barreto da Polícia Civil do Piauí, porém, lá é utilizado com outro nome. Na especializada da Baixada, a tecnologia teve o apoio dos piauienses e foi aprimorado pelos inspetores Roberto Calleia e Fábio Dutra, após iniciativa do delegado titular da DHBF, Giniton Lages.

O sucesso do mecanismo já chamou atenção da Polícia Civil do Rio e deve ser estendido para toda a corporação do estado em breve. Os agentes também planejam nos próximos meses permitir que usuários do iPhone possam baixar o “Falaaí”. Outras novidades tecnológicas devem ser testadas pelos policiais e implementadas até o fim do ano.

— Hoje, todo mundo tem um celular com internet ou que pega o wi-fi. É muito mais fácil fazer denúncias assim. Já capturamos alguns presos por causa do Falaaí e estamos recebendo informações de casos grandes por ele — aponta Roberto Calleia.

COMO BAIXAR

Acesse a “Play Store" de qualquer aparelho celular que tenha Android e digite a palavra “falaai”.

DENUNCIE

Após a instalação, o usuário clica em “denunciar” e será direcionado para outra tela. Então poderá escolher se a denuncia é sobre homicídio, porte ilegal de arma, desaparecimento, foragidos ou outros crimes. Depois, diga qual das 13 cidades da Baixada aconteceu o crime.

FINALIZE

A partir de então, o denunciante escreve o local com no mínimo 10 caracteres e no máximo 300 e depois digita livremente os dados da denúncia. Por último, clique em “enviar denúncia” e pronto.



Via Extra
10/08/2016

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »