Menino morto pela mãe na Baixada já havia sido agredido outras vezes por ela

O delegado Leandro Costa, da DHBF, conta que o casal confessou o crime Foto: Cíntia Cruz / Extra


A mulher acusada de participar da morte do filho de 1 ano e 10 meses, juntamente com o namorado, na madrugada desta terça-feira, já havia agredido a criança outras vezes. É o apontam as investigações da Polícia Civil. Thamires da Silva Ferreira, mãe da criança, e Gabriel da Silva Pereira, seu namorado, ambos de 18 anos, estão presos na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

— Segundo familiares da mãe, a vontade de tirar a vida da criança era anterior, ela já tinha comentado que não tinha interesse de permanecer com a criança, e que o próprio pai do menino não tinha condições de criar — afirmou o delegado Leandro Costa, da DHBF.

Thamires e Gabriel foram presos em flagrante pela morte do filho da jovem Foto: Cléber Júnior / Extra

O delegado contou que eles iam para a casa de uma tia de Gabriel, namorado de Thamires, mas não queriam levar o filho dela, Miguel da Silva dos Santos, de 1 ano e 10 meses. Decidiram, então, abandonar o menino:

— Ela teve remorso de abandonar o menino consciente. Então resolveram desacordá-lo para deixá-lo no local conhecido como monte que tem antenas de transmissão e é bem deserto. Conseguiram, mas a criança voltou a acordar. Foram perdendo a paciência e começaram a agredir a criança. Inclusive o corpo tinha diversas equimoses que demonstram que houve agressões com a criança ainda com vida. Depois, levaram a ação ao fim. Ela colaborou e consentiu que Gabriel tirasse a vida do menino. As primeiras tentativas de asfixia foram por parte dela.

Após o crime, Thamires e Gabriel foram localizados por parentes na Pavuna, Zona Norte do Rio. Eles informaram onde estava a criança. Ao encontrarem o local onde o menino foi deixado, familiares acionaram policias militares do 20º BPM (Mesquita) que faziam patrulhamento na Via Light. Eles tentaram socorro na UPA de Cabuís, mas disseram que a unidade estava fechada. Seguiram para o Posto de Saúde de Nova Cidade, mas o menino já estava morto.

O caso foi registrado inicialmente na 57ª DP (Nilópolis) e encaminhado para a DHBF. Gabriel foi preso em casa, no bairro Paiol. Na delegacia, o casal confessou o crime. Thamires e Gabriel vão responder pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe e asfixia.

Segundo a polícia, a UPA do bairro Cabuís, para onde o menino foi levado, estava fechada Foto: Cléber Júnior / Extra


Leia a resposta da Prefeitura de Nilópolis na íntegra:

Segundo o médico que estava de plantão no Posto de Saúde de Nova Cidade, a criança já chegou a unidade sem vida, e pelo estado do corpo já havia falecido há algumas horas. Isso foi constatado também pelas pessoas que a encontraram e pelos policiais que foram acionados. A criança foi encontrada em um terreno baldio.

A UPA 24h do Cabuis está fechado desde o dia 15 e voltará a funcionar na próxima segunda, dia 22 de agosto, para que seja realizado as adaptações necessárias para tornar a unidade um centro de excelência no atendimento pediátrico 24h em nosso município. Durante este período, o Posto de Saúde de Nova Cidade estará suprindo as necessidades e receberá pacientes em caso de emergência.


Via Extra
17/08/2016

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »