Nova Iguaçu comemora Semana do Aleitamento Materno




No mês em que se celebra a Semana Mundial do Aleitamento Materno, Nova Iguaçu tem motivos para comemorar. Cerca de 92% das pacientes atendidas na Maternidade Municipal Mariana Bulhões saem da unidade amamentando no peito. Os dados apresentados pela Secretaria Municipal de Saúde apontam crescimento gradativo nos últimos três anos. Em 2014, eram 85% e no ano seguinte, este número subiu para 89%.

Na unidade, que possui o título de Maternidade Amiga da Criança, o incentivo a amamentação materna começa desde a internação, quando as mães passam por uma avaliação nutricional. Após o parto, elas recebem ajuda de enfermeiras e médicos sobre a forma correta de amamentar e os cuidados com sua saúde e a do bebê. A maternidade possui ainda um lactário que fornece leite materno para mães que não podem amamentar por restrições médicas.

“Como obstetra sei o quanto a amamentação materna é fundamental para o desenvolvimento na 1° infância. Através do leite da mãe, a criança recebe nutrientes essenciais para o crescimento saudável. Nova Iguaçu sai na frente neste incentivo sendo uma das únicas maternidades do estado a cumprir as metas preconizadas pelo Ministério da Saúde no estimulo ao aleitamento materno”, garante o secretário municipal de saúde, Emerson Trindade, que esteve na unidade nesta quarta-feira (24), participando de um evento que marcou a Semana do Aleitamento Materno no município. 

Cerca de 50 pacientes da maternidade participaram das atividades, com palestras sobre alimentação sustentável - tema este ano da Semana do Aleitamento -, capacitação nutricional, com dicas e receitas saudáveis, e apresentação do grupo teatral Arte em Cristo. Os bebês ganharam camisetas com a mensagem”abastecido com leite materno”. “O envolvimento de toda equipe da unidade nos ajuda a promover cada vez mais o incentivo a amamentação materna, que além de fazer bem para o bebê e a mãe, ajuda na economia familiar e no meio ambiente, evitando o uso precoce da mamadeira de plástico”,afirma o diretor médico da maternidade, Abrahão Ricardo de Azeredo.

Luciana Estevão da Silva, de 26 anos, sabe bem da importância da amamentação. O filho mais velho, hoje com 10 anos, mamou no peito até os três e agora, com o pequeno Lucas, de três dias, ela pretende seguir a mesma rotina. “O mais velho sempre teve uma vida saudável e dificilmente fica doente. Quero poder fazer o mesmo pelo irmão. As orientações que recebi aqui com certeza vão me ajudar neste cuidado”, disse.

Via PMNI
25/08/2016


Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »