Laudo de morte de menina moradora de Austin comprova que houve fatalidade

Os pais da menina Maria Eduarda, mostram o laudo que compra a fatalidade. Foto: Ivan Teixeira



 

O laudo da morte da menina Maria Eduarda Soares da Silva, de apenas um mês, comprovou que houve uma fatalidade. Segundo o pai da menina, Jorge Marcos, de 53 anos, a menina, que mora em Austin, em Nova Iguaçu, no sábado, estava muito alegre e brincalhona: “Eu ainda brinquei com ela durante o dia todo no sofá.”. O laudo apontou que a causa da morte da pequena foi insuficiência respiratória.



Após a postagem da matéria da morte da menina em um site de notícias, várias pessoas começaram a criticar a família. Segundo Jorge, a mãe da menina, Rafaela Soares de Oliveira, de 26 anos, ainda tentou vários recursos para salvar a filha. “Nós ligamos para a Samu e fomos orientados a fazer alguns procedimentos. Eu fiz várias massagens na minha filha e respiração boca a boca, tentando de todas as formas salvar a vida da minha filha.”, afirmou Jorge.


Maria Eduarda era a segunda filha do casal, mas Jorge já possuía dois filhos de outro relacionamento. “No dia do ocorrido, muitas pessoas foram solidárias, inclusive a minha ex-esposa esteve aqui dando todo o apoio.”, afirmou Jorge.


“Até hoje ainda não conseguimos nos alimentar direito, pois o sofrimento é muito grande. Sentimos muita falta da nossa pequena menina.”, contou o casal.


Segundo Rafaela, ter uma menina era um sonho do casal. “Eu já havia perdido outra criança antes mesmo do nascimento. Eu daria minha vida para ter minha filha de volta! Não desejo essa dor para nenhum ser humano. Eu me preocupei em fazer todo o pré-natal. Na época eu estava grávida e peguei uma gripe. Fiquei apavorada”.

Um procedimento foi aberto na 58º DP (Posse) para apurar o caso.


Via Jornal de Hoje
05/11/2016


Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »