Namorada acusa ator de mandar funcionários de prédio agredi-la




A atriz e modelo Jéssica França, de 24 anos, disse que foi agredida a mando do até então namorado, o ator Hugo Gross. De acordo com a vítima, a violência ocorreu no prédio onde o ator mora, no Rio Centro, Jacarepaguá, zona oeste do Rio, na madrugada de terça-feira (29). A mulher aponta o porteiro e o vigia como os agressores. Por meio de seu advogado, Gross negou as acusações e afirmou que Jéssica forjou as agressões.

Jéssica conta que o porteiro a agarrou pelos cabelos e deu soco, enquanto o vigia segurava as pernas dela e dizia que “ele [Hugo] mandou meter a porrada”. A jovem afirma que teve os cabelos arrancados e que também foi alvo de ofensas verbais.

— O porteiro me segurou pelos braços e o vigia abriu as minhas pernas e ficou falando: ‘É vadia’. Eles foram violentos e abusivos. Quando mexi no meu cabelo, não parava de cair tufos, minha cabeça doía.

A atriz acionou a Polícia Militar, que foi até o local, e o síndico do prédio subiu até a casa de Gross com os agentes. Segundo ela, o ator permaneceu escondido dentro do apartamento.

Com hematomas e machucados pelo corpo, Jéssica procurou ajuda médica no hospital Vitória, na Barra, após as agressões. Ela procurou a Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) e foi encaminhada para realizar exames no IML (Instituto Médico Legal).


A briga teve início quando Jéssica e Gross saíram para ir a um shopping na região da Barra. De acordo com a atriz, o casal estava bem até o ator ficar com ciúme e adotar um comportamento agressivo. Segundo ela, Gross alegava que a namorada olhava para um rapaz. Jéssica nega.

Com medo, a vítima deu voltas para despistá-lo e, depois, como tinha a chave do apartamento, decidiu voltar à casa do ator, de táxi, para buscar suas coisas. De acordo com Jéssica, Gross havia chegado antes e trancado a fechadura de reforço, mas fingia que não estava na residência.

Nesse momento, ela conta que voltou para o táxi e pediu para ir ao subsolo verificar se o carro do ator se encontrava estacionado. Foi nessa hora, segundo Jéssica, que o porteiro e o vigia a abordaram e iniciaram as agressões. Apesar de o taxista ter presenciado tudo, a jovem diz acreditar que ele tenha sido “comprado”, pois o viu receber dinheiro dos funcionários do prédio.

A atriz relata um histórico de agressões no relacionamento. A 42ª DP (Recreio) investiga o caso.



Via R7

02/12/2016


Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »