Polícia diz que embaixador grego foi assassinado em Nova Iguaçu por amante de sua mulher



RIO DE JANEIRO (Reuters) - A polícia brasileira disse nesta sexta-feira que um policial do Rio de Janeiro confessou ter esfaqueado até a morte o embaixador da Grécia a mando da esposa do diplomata, de quem era amante.

A esposa, o policial e um primo do policial - que agiu como vigia e ajudou a transportar o corpo do embaixador - estão todos presos enquanto a investigação continua, disseram os policiais em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro.

O embaixador grego Kyriakos Amiridis, de 59 anos, estava desaparecido desde a noite de segunda-feira. Sua esposa, a brasileira Françoise, só informou a polícia sobre o desaparecimento na quarta-feira. O casal tem uma filha de 10 anos de idade.

Amiridis serviu como cônsul-geral da Grécia no Rio entre 2001 e 2004. Mais recentemente, foi embaixador de seu país na Líbia e assumiu o posto principal da representação grega no Brasil no início de 2016.

O governo brasileiro confirmou a morte do embaixador nesta sexta-feira e prestou condolências ao povo grego, ao presidente do país, Prokopis Pavlopoulos, e ao primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

"Neste momento de dor e pesar, ofereço, em nome dos brasileiros, minhas condolências e solidariedade ao Governo e ao povo da Grécia, em particular aos familiares e pessoas próximas ao Embaixador Amiridis”, disse o presidente Michel Temer em carta enviada ao presidente Pavlopoulos.

O corpo carbonizado do embaixador foi encontrado dentro do veículo que tinha sido alugado por Amiridis e sua esposa, embaixo de um viaduto em uma estrada na região em que o casal estava hospedado no Rio.

O incidente é outro golpe à imagem do Rio, apenas quatro meses após ter sediado os Jogos Olímpicos.

(Por Paulo Prada e Brad Brooks)

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »