Retrospectiva 2016: ´Milagre´ menino atropelado ao brincar na Dutra sai de coma e tem alta

Julio Cezar já voltou a assistir os jogos do Flamengo, o time do coração. Foto: Arquivo Pessoal

Depois de três meses internado, sendo que um deles em coma, no CTI, o menino Julio Cezar da Silva Salles, de 12 anos, teve alta. Em fevereiro, Julio Cezar brincava com um grupo de crianças em uma poça d’água, às margens da Rodovia Presidente Dutra, altura do Jardim América, na Zona Norte, quando foi atropelado por um carro.

Alex relata que o processo de recuperação do garoto foi muito rápido, se comparado a casos comuns, e que ele foi acordando do coma aos poucos, fazendo leves movimentos. A única dificuldade é que Julio Cezar teve uma trombose e estava sendo alimentado através de sondas.

Como sofreu um traumatismo craniano, o garoto ainda tem pequenas sequelas do acidente, mas o prognóstico dos médicos é positivo.


- Uma parte do cérebro dele não está funcionando totalmente, então ele não faz muitos movimentos com o pescoço, está um pouco molinho. Os médicos falaram que só uma questão de tempo, mesmo. Eles vão acompanhar, agora não podem dizer que ficarão sequelas - disse Alex.


O garoto já se alimenta sozinho, mas ainda tem um longo tratamento pela frente Foto: Arquivo Pessoal

Para receber o menino e continuar o tratamento em casa, a família está recebendo apoio e ajuda de amigos, que fizeram campanhas nas redes sociais. A casa terá que ser adaptada e uma cama hospitalar já foi doada para o garoto.

De acordo com o tio, Julio Cezar precisará de acompanhamento de especialistas, além de alimentação especial e fraldas, o que preocupa a mãe do garoto, Jaqueline da Silva Menezes, que também tem outros quatro filhos.

- Após sair do hospital a mãe ficou aliviada.

Relembre o caso

Em fevereiro, Julio Cezar brincava com um grupo de outras crianças, que se arriscavam no meio dos carros na Rodovia Presidente Dutra, altura de Jardim América, Zona Norte, para pegar impulso e se jogarem numa poça de água, quando foi atingido por um carro. O menino teve um traumatismo craniano e ficou em coma no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, também na Zona Norte.


O local onde ocorreu acidente está vazio nesta quarta-feira Foto: Foto: Rafael Moraes / Extra


De acordo com a mãe do garoto, Julio havia saído mais cedo da escola e disse que ia jogar bola num campinho perto de casa, na comunidade Beira Rio, como faz todos os dias:

- Acho que ele se juntou com mais cinco ou sete coleguinhas e foram para lá (a poça d'água formada às margens da Dutra).

Apesar de muito abalada, a mãe disse que não culpa ninguém pela tragédia:

- Não culpo o motorista. Tenho plena consciência de que meu filho não deveria estar naquele local.
O tio do garoto passou pelo local cerca de cinco minutos após o acidente. Ele disse que já havia alertado o sobrinho anteriormente.

- Na nossa comunidade não tem opção de lazer. Então, as crianças fazem aquela água suja de piscina. Eu já tinha passado com meu sobrinho por lá e visto meninos se jogando na poça. Eu perguntei para ele: “Você também faz isso?”. E ele respondeu: “Não, tio. Tá maluco?”. Mas sabe como é criança, né? - contou o motorista.


Via Extra

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »