Após vídeos de presos, secretaria admite falta d’água no Complexo de Gericinó



A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) admitiu neste domingo que o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, passa por problemas no abastecimento de água. A secretaria informou que carros pipas foram enviados para as unidades com o objetivo de solucionar o problema. A resposta vem depois que um vídeo com detentos mostrando as precárias condições do lugar, e denunciando a falta d’água, passou a circular nas redes sociais. A Seap comunicou ainda que os envolvidos nas imagens já estão sendo identificados e serão transferidos para a Penitenciária Laercio da Costa Pelegrino (Bangu 1), que fica dentro do mesmo complexo.

A Companhia Estadual de Água (Cedae) alegou que, nos últimos dias, devido ao forte calor, houve um aumento de consumo em cerca de 30% em Gericinó. Além disto, a Cedae afirma que uma tentativa de furto de água provocou um vazamento na adutora que abastece os presídios, assim tendo que reduzir a pressão para realizar a manutenção. Segundo a concessionária, o sistema de adução já está normalizado e a partir desta noite a situação do abastecimento dos presídios será restabelecida. A Cedae garante ainda que esta semana aumentará o aporte de água para a região por causa de uma nova rede de abastecimento no local.

A falta d’água agrava o clima entre os presos dentro do Complexo de Gericinó. Como o EXTRA mostrou neste sábado, ao longo da última semana, um racha dentro da facção Amigos dos Amigos (ADA), que domina a Rocinha e o Complexo da Pedreira, motivou a transferência de mais de 300 presos da Penitenciária Jonas Lopes de Carvalho (Bangu 4). Já uma tentativa de invasão de criminosos do Terceiro Comando Puro (TCP) — que domina a Maré e Acari — à galeria ocupada por presos ligados à milícia e ex-PMs provocou pânico na Penitenciária Lemos de Brito (Bangu 6).

Segundo fontes da Polícia Civil e do sistema prisional, em Bangu 4, os desentendimentos na quadrilha envolvem a participação da facção em roubos de cargas na Zona Norte da cidade. Edmilson Ferreira dos Santos, o Sassá, chefão da ADA que está preso há 11 anos e cumpre pena em presídio federal, estaria insatisfeito com roubos de carga praticados por bandidos oriundos da favela da Quitanda, em Costa Barros. A gota d'água teria sido um mandado de prisão decretado pela Justiça contra Sassá, proveniente de uma investigação da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), por conta da atuação da quadrilha. Insatisfeito, o bandido teria ordenado que Cristiano Santos Guedes, o Puma, chefe do tráfico da Quitanda, entregasse a favela. A solução para o impasse foi definida por Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, que determinou que os presos ligados à Sassá pedissem transferência.

Leia na íntegra a nota da Cedae:

"Nos últimos dias, devido ao forte calor, houve um aumento de consumo em cerca de 30%. Além disto, uma tentativa de furto de água provocou um vazamento na adutora que abastece os presídios e a CEDAE teve que reduzir a pressão para realizar a manutenção. O sistema de adução já está normalizado e a partir desta noite a situação do abastecimento dos presídios será restabelecida. A CEDAE está reforçando o abastecimento dos presídios através de carros-pipa e garante que não faltará água no complexo de Gericinó.Além disso, foi implantada nova rede de abastecimento para reforçar o complexo prisional, que entrará em carga ainda esta semana, aumentando o aporte de água para esta região".

Leia na íntegra a nota da Seap:

"A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária informa que para solucionar o problema no abastecimento de água foram enviados carros pipas para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu.

Ressaltamos que os envolvidos no vídeo já estão sendo identificados e serão transferidos para a Penitenciária Laercio da Costa Pelegrino".


Via Extra
09/01/2016

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »