Hospital particular de Duque de Caxias é interditado pela Vigilância Sanitária

Hospital particular tem serviços de urgência e emergência, além de outras especialidades Foto: Cléber Júnior / Extra

A Vigilância em Saúde do estado interditou parcialmente o Hospital Santa Branca, no Jardim Vinte e Cinco de Agosto, em Caxias, por tempo indeterminado. De acordo com a Secretaria estadual de Saúde, a unidade “não tem estrutura física” e apresenta “processos de trabalho inadequados’’ para o seu funcionamento. A determinação começou a valer a partir do último dia 3.

A interdição na unidade de saúde ocorreu na Central de Material Esterilizado (CME). A Secretaria estadual de Saúde informou ainda que o “pleno funcionamento do hospital só poderá ser retomado após a regularização estrutural ou da comprovação da terceirização das atividades da CME”. A secretaria ressaltou que a interdição parcial não representa prejuízo aos pacientes internados.


Ontem, durante a manhã, a movimentação de pacientes e funcionários era pequena na entrada do hospital. Por lá, ninguém quis comentar a decisão.

A interdição parcial da unidade de saúde foi resultado de uma inspeção realizada por técnicos da Subsecretaria de Vigilância em Saúde em agosto do ano passado. A sanção foi publicada na última quarta-feira em Diário Oficial.

O órgão comunicou que as fiscalizações são realizadas periodicamente nas unidades de saúde cadastradas e que podem também ser provocadas por denúncias dos usuários pelo e-mail visa.denuncia@saude.rj.gov.br ou no site www.vigilanciasanitaria.rj.gov.br.

Resposta do Hospital Santa Branca:

Em nota, enviada neste sábado pelo departamento jurídico do Hospital Santa Branca, a unidade afirmou que "sofreu fiscalização da ANS em agosto de 2016, cujas exigências foram cumpridas, contudo o órgão não apreciou devido este se encontrar em greve." O comunicado ainda ressalta que o "fato do CME estar interditado não interfere no atendimento aos pacientes", estando o Hospital funcionando normalmente.

O texto ainda esclarece que contra Bolivar Guerreiro Silva, dono do Santa Branca, não existe sentença condenatória.

Celebridades como pacientes e dono preso

Ludmilla fez lipoaspiração na unidade de saúde 17/03/2015 Foto: Cléber Júnior / Extra

Foi no Hospital Santa Branca que a funkeira Ludmilla realizou uma lipoaspiração em março de 2015. Na época, a cantora tinha 19 anos e fez o procedimento com o mesmo médico que fez a cirurgia em Andressa Soares, a Mulher Melancia.

A unidade de saúde tinha como proprietário o equatoriano Bolivar Guerreiro Silva. Ele foi preso durante uma operação da Polícia Civil, em 2010, acusado de comercializar ou aplicar um medicamento para preenchimento facial sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) à base de PMMA (polimetilmetacrilato). Outras sete pessoas também foram presas.

Leia na íntegra a nota do Hospital Santa Branca:

"O Hospital sofreu fiscalização da ANS em agosto de 2016, cujas exigências foram cumpridas, contudo o órgão não apreciou devido este se encontrar em greve.

Esclarecemos que o fato do CME estar interditado não interfere no atendimento aos pacientes.

O Hospital está funcionando normalmente.

Quanto ao Dr. Bolivar Guerreiro Silva, não existe sentença condenatória, não devendo este ser estigmatizado por algo que está sub judice".


Via Extra
21/01/2017

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »