Policial militar morto na Baixada chefiava grupo de apoio ao Ministério Público

O subtenente João Máximo foi morto em Japeri, na Baixada Fluminense Foto: Reprodução


Policiais da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) e promotores do Ministério Público estão trabalhando para tentar identificar os assassinos do subtenente da Polícia Militar João Máximo Guimarães Rodrigues, de 52 anos.

Máximo era chefe do Grupo de Apoio aos Promotores de Justiça (GAP) do Centro de Apoio Administrativo Institucional de Nova Iguaçu, há mais de dez anos. Ele foi morto durante uma tentativa de assalto, em Japeri, na Baixada Fluminense, na última quinta-feira.

Na ocasião, o subtenente estava em uma padaria quando reagiu a um assalto e foi baleado duas vezes. João Máximo, que também era biólogo, chegou a ser socorrido, mas já chegou morto ao Hospital da Posse.

Pai de duas filhas, Máximo foi o 12º policial assassinado no Rio de Janeiro em 2017.



Via Extra
22/01/2017

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »