Tubulação da CEDAE estoura e água cria chafariz gigante prejudicando abastecimento no Rio e Baixada



Um chafariz gigante se formou na Estrada do Lameirão, em Santíssimo, na Zona Oeste do Rio, na manhã desta quarta-feira, após o rompimento de uma tubulação da Cedae. A água foi lançada com tanta força que criou uma cratera na estrada, derrubou árvores e danificou casas no entorno. O jato começou a jorrar por volta das 10h30 e cerca de duas horas depois técnicos da companhia conseguiram reverter a situação. Equipes do Corpo de Bombeiros, da Cedae e da prefeitura estão no local.


Jato de água fez uma cratera na estrada Foto: Márcio Alves


Entre os moradores, houve pânico e correria. O comerciante Ivan Gomes Pinho, de 57 anos, precisou sair de casa às pressas com o tio no colo. Hildebrando Ribeiro, de 79 anos, que vive de cama por causa de uma complicação no fêmur.

— Eu vi o mundo acabar. Estava na rua, quando ouvi um estouro e vi tudo alagar. A água jorrou tão forte que lançou pedras para o ar. Corri para dentro de casa e peguei meu tio. Graças a Deus consegui tirá-lo a tempo. A água acabou com tudo. Perdemos máquinas, móveis — lamenta Ivan, que também perdeu parte do comércio.

O veterínário Carlos Frederico dos Santos, de 54 anos, também teve a casa inundada e ainda teve perda total do carro, que foi soterrado por pedras e uma árvore.

— Eu estava saindo de casa para pegar o carro, que fica a uns dez metros do portão, quando escutei um barulho muito forte. Achei que era um acidente de trânsito, mas logo vi a água entrando e corri para os fundos, para pegar meu irmão e meu sobrinho. Dentro de casa, a perda foi total — conta.

Morador teve carro destruído Foto: Marcio Alves


De acordo com o técnico de segurança no trabalho Rogério Lopes, de 50 anos, que passava pelo local, depois do susto inicial os moradores começaram a se preocupar com o risco de curto-circuito.

— A água estava abrindo como um leque, cobrindo as casas e os fios de alta-tensão. Ficamos preocupados e saímos logo de perto, porque corria o risco de haver algum curto-circuito — contou ele, que enviou um vídeo do jato de água para o WhatsApp do EXTRA (21 99644-1263).

Rompimento provocou estragos na rua e nas casas Foto: Márcio Alves


O incidente ocorre no mesmo dia em que a Cedae enviou uma nota à imprensa pedindo que os moradores do Rio e da Baixada Fluminense evitem o desperdício de água, já que o abastecimento foi prejudicado, na noite de terça-feira, por um curto-circuito na estação de tratamento do Guandu.

Em nota, a Cedae informou que técnicos realizaram no início desta tarde manobra para retirar a tubulação de carga e conter o vazamento. Agora, trabalham no serviço de reparo da tubulação.

Incidente aconteceu em Santíssimo, na Zona Oeste Foto: Reprodução


Curto-circuito

A estação de tragamento de água do Guandu entrou em curto-circuito após um transformador ser atingido por um raio, na noite desta terça-feira, de acordo com a assessoria de imprensa da Cedae. Segundo a companhia, o problema foi solucionado e o fornecimento de água será normalizado ao longo desta quarta-feira. Enquanto isso, a companhia pede que a população "utilize de forma consciente a água armazenada nas caixas d’água ou cisternas".

Nas redes sociais, há relatos de falta de água e pressão reduzida em bairros como Campo Grande, Irajá, Vila Valqueire e Jardim Sulacap, além de cidades da Baixada Fluminense como Nilópolis, Nova Iguaçu e Caxias.

Em nota, a Cedae diz que até o restabelecimento total do serviço, a população poderá "notar a pressão reduzida na rede". A companhia afirma ainda que "em algumas áreas isoladas (pontas de sistema) e regiões mais altas, a normalização do fornecimento de água poderá levar até 48 horas".

Via Extra
04/01/2017

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »