Dezinho, o novo herói contra o Aedes aegypti


Personagem foi criado pela Secretaria de Estado de Saúde para promover o engajamento de crianças, adultos e idosos na prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito

Ele é uma criança normal, que vive com a família, vai à escola e brinca. Mas quando o alarme do seu relógio toca, o garoto veste uma capa e se transforma num super-herói que tem a missão de derrotar um vilão pequeno no tamanho, e muito grande no perigo: o Aedes aegypti. Criado pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, o personagem Dezinho chega como a grande novidade da campanha de 2017 contra o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A ideia é mobilizar as crianças para que elas sejam os grandes protagonistas do combate às três doenças.

– A criança tem um grande poder de convencimento. E o Dezinho foi concebido justamente como uma forma de lembrar aos pais, mâes, avós, vizinhos que basta separar dez minutos por semana para promover uma limpa nos focos de água parada dentro de casa e cada um fazer sua parte contra a dengue, zika e chikungunya – explica o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Jr., lembrando que mais de 80% dos criadouros do Aedes são detectados em imóveis residenciais. 

O herói ganhou vida pelo traço do ilustrador e designer Luciano Freitas, da equipe da SES, e o objetivo é que possa ser utilizado por todas as prefeituras e outros órgãos que queiram promover o engajamento em ações de vigilância em Saúde. Materiais para imprimir – como panfletos e um jogo dos 10 erros interativo – e adesivos "Morador Nota 10" para serem colados nas residências durante visitas dos agentes da Vigilância estão disponíveis com licença Creative Commons (sem limitações de direitos autorais) no site www.riocontraoaedes.com.br .

– Até mesmo por conta da crise financeira, decidimos neste ano por uma campanha criativa e colaborativa, utilizando a internet e o celular como principais meios de comunicação. A grande mensagem é: todo mundo pode se transformar no Dezinho – detalha o secretário Luiz Antônio.

Além do material disponível no site, também estão livres para download tirinhas em quadrinhos com as aventuras do Dezinho e sua família, GIFs animadas e vídeos, para postar nas redes sociais e compartilhar pelo Whatsapp. Tudo com dicas de como combater o mosquito no dia a dia. Um boneco de espuma representando o personagem também vai percorrer os municípios do Estado nas ações de prevenção à dengue, zika e chikungunya.

Agenda do Dezinho – A estreia 'ao vivo' do Dezinho será nesta sexta-feira, 10/2, na Cidade do Samba, às 12h, com a presença de Neguinho da Beija-Flor - que fez um samba especialmente para o Dezinho - e da bateria da Azul-e-Branca de Nilópolis, além do secretário de Estado de Educação, Wagner Victer.

Já no dia 11/2, sábado, o personagem participa da inauguração da reforma da UPA da Maré e de um grande mutirão de limpeza e eliminação de possíveis focos do Aedes aegypti  na Praia do Rosa, Ilha do Governador, em parceria com crianças de projetos sociais da região. 

Nas próximas semanas, os compromissos do Dezinho ainda incluem visitas a colégios estaduais, numa parceria da SES com a Secretaria de Estado de Educação, além de diferentes instituições e diversas regiões do Rio e demais municípios do estado.

–  As ações de combate ao mosquito estão diretamente relacionadas ao meio ambiente, à limpeza urbana e à mobilização social. De nossa parte, daremos todo o apoio necessário para que possamos levar esse debate para as salas de aula, mostrando que é essencial que cada um faça a sua parte – afirma o secretário de Educação, Wagner Victer.

Dados – De acordo com a Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES, no período de 1º de janeiro a 1º de fevereiro, foram notificados 901 casos suspeitos de dengue, 47 casos de zika e um caso de chikungunya. As notificações foram compiladas a partir dos dados inseridos no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan) pelos municípios de todo o estado.

– A mobilização da sociedade é fundamental para evitar a proliferação do mosquito. Com uma vistoria completa em casa, uma vez por semana, é possível interromper o ciclo de reprodução do inseto, que pode ser de até dez dias. Sabemos que este é um mosquito dehábitos domésticos, portanto, é preciso que todos façam sua parte para benefício de toda a sociedade. É o que buscamos mostrar nesta campanha –  conclui Alexandre Chieppe, subsecretário de Vigilância em Saúde.

Saiba mais sobre como combater o mosquito e informe-se sobre as doenças que ele transmite em www.riocontraoaedes.com.br ou bit.ly/dezinho


Via: Assessoria
09/02/2017

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »