Professora relata fuga de assalto no Arco Metropolitano na altura de Japeri: ´Assustador´

Pneu esfacelado após tiro no Arco Metropolitano (Foto: Reprodução/Facebook)

Uma professora de Vassouras, RJ, relatou através de mensagem postada em uma rede social momentos de tensão vividos ao passar pelo Arco Metropolitano, na Baixada Fluminense, na sexta-feira (3). Fabíola Assed passava pelo trecho de Engenheiro Pedreira, distrito de Japeri, quando foi surpreendida por criminosos armados.

"Saíram do meio do mato entre 8 a 10 bandidos, todos fortemente armados, partiram pra cima do nosso carro, entrando na frente e atirando muito, nós não tivemos nem a oportunidade de voltar mesmo que na contramão. Só tínhamos duas saídas: passar por eles assumindo o risco ou parar, sem a menor chance de vida, dada a violência da abordagem. Abaixei para sair da direção das armas e acelerei tudo que pude. Eles começaram a atirar em nossa direção, conseguimos atravessar a barreira do bando, foi quando mandaram muitos tiros na traseira do carro. Conseguimos nos deslocar por mais ou menos 1km, mas um tiro atingiu o pneu da frente e outro os fundos do carona, o pneu esfacelou".

Por telefone, Fabíola contou ao G1 que utilizava com frequência o Arco Metropolitano, como forma de evitar os constantes congestionamentos das vias expressas que ligam a capital a Região dos Lagos, mas não pretende mais passar pelo local após o susto. Na tarde de sexta, ela seguia para passar o fim de semana em Cabo Frio e estava acompanhada do marido no veículo.

"Minha intenção com a postagem era alertar meus amigos sobre o problema, que é muito grave. Muitos já me falavam sobre a violência no trecho, mas eu não dava muita importância. É triste, a gente não consegue usufruir de uma via construída com o nosso dinheiro. Não adiantou esse Arco. Como educadora, o que mais me chocou foi a faixa etária dessas pessoas. Eram muito novos e pareciam muito à vontade com o que estavam fazendo. Isso é assustador".

Segundo levantamento feito pelo G1 em outubro de 2016, a circulação de veículos no Arco Metropolitano era de 15 mil veículos por dia, metade do previsto. De acordo com a Polícia Militar, o patrulhamento na via é feito pelo Batalhão de Polícia Rodoviária em rondas 24 horas por dia, em toda a extensão da estrada.




Professora relata momentos de tensão vividos no Arco Metropolitano (Foto: Reprodução/Facebook)


Via G1
07/02/2017

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »