Irmã de adolescente morta pelo pai em Belford Roxo relata ameaças: ´Nossa vida virou um inferno´



A irmã de Dayanne Mariano de Azevedo e Silva, de 14 anos, contou que tinha medo de que algo de ruim ocorresse com ela. Débora Oliveira, de 23, revelou ainda que, há três meses, Dário de Oliveira e Silva vinha ameaçando sua mãe, Luiza Mariana de Azevedo. Por causa das ameaças, as duas chegaram a registrar um boletim na Delegacia da Mulher de Belford Roxo, na Baixada Fluminense. 


Dayanne morreu com um tiro na cabeça na noite desta terça-feira. O disparo foi feito por Dário, pai da vítima, que se enforcou após o crime. De acordo com a Polícia Civil, ele não aceitava o fim do relacionamento com Luiza.

— De três meses para cá, nossa vida virou um inferno. Ele estava fazendo diversas ameaças. Minha mãe e ele brigavam muito. A gente tinha medo que ele fizesse algo comigo. Jamais pensamos que ele poderia fazer algo com a própria filha dele. Ele sempre dizia que iria se vingar dela, iria fazer mal com alguém que ela amasse. Jamais pensamos que fosse com a filha dele — contou Débora, que revelou ainda que Dário e a filha tinham um bom relacionamento.

Dayanne Mariano foi enterrada no fim da tarde desta quarta-feira no cemitério Tanque do Anil, em Duque de Caxias, também na Baixada. A mãe da vítima ficou bastante emocionada, sendo aparada por familiares.

Entenda o caso:

O agente penitenciário Dário de Oliveira e Silva matou a filha adolescente por não aceitar o fim do relacionamento com a mãe da vítima. O crime aconteceu na noite desta terça-feira, no bairro Parque Afonso, em Belford Roxo. Segundo informações da Polícia Civil, Dário deu um tiro na cabeça da filha, Dayanne Mariano de Azevedo e Silva, e se suicidou em seguida. Os corpos foram encontrados pouco tempo depois pela mãe da garota.

— Ele (Dário) era casado, mas mantinha um caso extraconjugal com a mãe de Dayanne há 16 anos. A jovem morava com a mãe e ele tinha livre acesso à casa. Há cerca de três meses, a mulher pôs fim ao relacionamento e ele passou a ameaçá-la e a agredi-la. Ele matou Dayanne e se matou para atingir a mãe (da adolescente) — explicou o delegado Willians Batista, da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

O assassinato de Dayanne e o suicídio de Dário — cujo corpo tinha marcas de enforcamento — aconteceu na véspera do aniversário da mãe da jovem. O crime, segundo as investigações, aconteceu por volta das 19h. Cerca de três horas depois, quando a mãe de Dayanne chegou em casa, encontrou os dois mortos.

No local do crime foi apreendida uma pistola e dez balas, além de dois projéteis que foram deflagrados.


Via Extra
22/03/2017

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »