Corpo de músico do Swing & Simpatia foi enterrado sob forte comoção; sambistas fazem homenagens


O corpo do surdista do 'Swing e Simpatia' foi enterrado neste domingo Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo


O corpo do músico do grupo Swing & Simpatia, José Nicolau, de 44 anos, mais conhecido como Gu, foi enterrado no início da tarde deste domingo sob forte comoção. 



O vocalista da banda, Luciano Becker, era o mais emocionado e não quis falar com a imprensa. Ele saiu antes mesmo do enterro do amigo chorando muito. Gu morreu assassinado na última sexta-feira, exatamente no dia do aniversário de Becker.


Gu morreu no dia do aniversário do amigo, o vocalista da banda, Luciano Becker (de boné) Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo


José Nicolau foi assassinado com onze tiros na porta de seu bar, na Rua Paulo, na Vila Emil, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O surdista da banda foi surpreendido por um veículo que passou pelo local. Na ação, um ocupante do automóvel teria desembarcado, efetuado os disparos e fugido em seguida. O pagodeiro não resistiu aos ferimentos e morreu na entrada do bar.


A irmã de Gu, Lucineia da Silva, foi amparada por amigos e parentes Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

Além de Becker, outro que não conteve as lágrimas foi Dudu de Oliveira, de 42 anos. O baterista contou que não sabe o motivo do crime e que Gu estava aparentemente tranquilo nos últimos dias.

- Ele estava muito feliz que o bar dele estava dando muito certo. A gente agora só quer força para saber lidar com isso e continuar com nosso grupo. Não vamos deixar a memória dele em vão - afirmou Dudu que está há 18 anos no 'Swing & Simpatia'.

Dudu de Oliveira, baterista do Swing e Simpatia Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

A esposa de Gu, Tatiana, teve que ser amparada por amigos durante o sepultamento. Ela estava muito emotiva. O empresário e fundador do grupo, Paulo Crispim, de 60 anos, tinha Gu como um filho e, emocionado, cobrou justiça.

- Eu era como um pai para essas crianças. O Gu era muito amigo de todos. Como dizia a nossa primeira música juntos, o Gu vai ficar "pra sempre, pra sempre" em nossos corações - disse Crispim.


Gu foi morto com 11 tiros Foto: Reprodução/Facebook

Almoço em família

Bastante emocionada, uma das irmãs da vítima, Lucinea da Silva Meira, de 54 anos, contou que a última vez que viu Gu foi no Dia das Mães, dia 14 de maio. Na ocasião, o músico teria combinado de reunir todas as suas quatro irmãs para um almoço durante esta semana.

- Perdemos uma pessoa muito querida da nossa família. Acabou que não deu tempo de realizarmos esse almoço. É um choque muito grande pra gente, uma tragédia - desabafou Lucinea.

Integrantes do fã-clube #FamiliaSwingeSimpatia fizeram camisas em homenagem ao morto. Até o momento, a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), que investiga o caso, acredita que o crime tenho sido uma execução.

Ainda segundo os relatos, o crime ocorreu por volta das 22h. Havia clientes no estabelecimento do artista. Durante a madrugada de sábado, ainda havia vestígios do crime que ocorrera horas antes: rastros de sangue estavam espalhados pelo chão, na calçada, além de marcas nas paredes que seriam oriundas de disparos.

Sambistas fazem homenagem

Nas redes sociais, diversos amigos de Gu prestaram homenagem ao músico. Dudu Nobre contou que estava “arrasado” com a notícia e afirmou que a vítima era “tranquila e de bem com a vida”. Já a rainha de bateria da Inocentes de Belford Roxo, Letícia Guimarães, usou seu Facebook para lembrar da amizade com Gu. Letícia escreveu sobre o último encontro que teve com ele e exibiu um print de uma conversa que teve com Gu sobre o sucesso de seu bar em Mesquita.



Via Extra
29/05/2017


Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »