Sobram vagas para o tratamento de hemodiálise em Queimados



Um tratamento caro, essencial e geralmente muito concorrido, está com vagas de sobra no município de Queimados, na Baixada Fluminense: Trata-se da Terapia Renal Substitutiva, que engloba a hemodiálise e a diálise e é indicada para pacientes com insuficiência renal aguda ou crônica grave. Nos dois estabelecimentos habilitados pelo Sistema Único de Saúde para este fim na cidade, 135 vagas estão desocupadas (a capacidade total de atendimento é de 395 pacientes).

De acordo com o prefeito Carlos Vilela, é essencial oferecer um serviço dessa magnitude no município, que se tornou uma referência para toda a região.

“Temos o compromisso de ajudar a manter essas clínicas em pleno funcionamento para que pessoas, mesmo que de outros municípios, possam cuidar da saúde de forma digna. Aos nossos moradores, inclusive, oferecemos transporte gratuito para realizar o procedimento, que em muitos casos precisa ser feito várias vezes por semana”, declarou o gestor.

Cada sessão do tratamento custa R$ 194,20 ao Sistema Único de Saúde, que repassa os recursos às instituições credenciadas. A prescrição do procedimento é feita por um nefrologista (médico especialista em doenças dos rins). Depois, o paciente é encaminhado pelo município de origem à instituição mais próxima de sua residência.

“Atendemos pessoas de Nova Iguaçu, Mesquita, Seropédica, Itaguaí, Japeri e adjacências, basta ser tudo regulado pelo sistema estadual, por meio das Secretarias de Saúde de cada município. É bom que o maior número de pessoas saiba dessa alternativa em Queimados, porque nunca atingimos nossa capacidade máxima aqui”, afirmou Anderson Rodrigues, que administra há 2 anos e meio o Instituto Nefrológico de Queimados (INQUE).



No Centro Nefrológico de Queimados (NEFRO), as portas também estão abertas. Segundo Liliane Rocha, que administra a unidade, 117 vagas estavam desocupadas até semana passada. Uma delas agora preenchida por Javan Cândido Ferreira, 32, morador de Japeri.

“Eu tive problemas quando criança e me tornei paciente renal crônico. Em tratamento há 17 anos, antes fazia em Engenheiro Pedreira, mas há uma semana faço aqui em Queimados. Quis conhecer o atendimento daqui também. Acho bom, todo paciente tem esse direito. Pretendo continuar aqui, estou gostando”, contou o pensionista.

Companheirismo na nova rotina

Casados há 41 anos, Antônio e Marilda Garlope vivem uma rotina intensa nos últimos 2 anos e 8 meses. Três vezes por semana, durante 4h por dia, os idosos (ela aos 60 e ele aos 65 anos) enfrentam juntos o processo das sessões de hemodiálise.

O paciente, que é diabético e deficiente visual, está sempre acompanhado da esposa quando o transporte de saúde municipal chega para levá-lo ao Instituto Nefrológico de Queimados. De acordo com Marilda, a vida do aposentado mudou completamente desde o início do tratamento.

“O cuidado vai desde a higiene do local das perfurações até a alimentação. Também recebemos muita atenção dos enfermeiros e toda a equipe. Glorifico a Deus por este serviço, porque se não tivesse hemodiálise aqui teríamos que ir para longe, sair da cidade para conseguir. Mas temos o transporte, que nos busca e leva em casa, tornando tudo mais fácil”, contou a dona de casa, moradora do bairro Nova Cidade.





Serviço aprovado

Outro queimadense a utilizar o serviço é Sandro Gomes, 41. O professor de Informática faz hemodiálise há cerca de um ano e afirma que, no início, foi pego de surpresa pela recusa da seguradora de saúde em arcar com os custos do procedimento.

“Sou diabético há 24 anos e por conta disso e também da hipertensão, tive falência renal. No começo, precisei de atendimento emergencial, então fui parar num hospital particular e gastei uma fortuna. Tive que arcar com muitas sessões, porque o plano não cobriu as horas integralmente. Felizmente consegui uma vaga aqui em Queimados”, declarou o morador do bairro Vila Scintilla, que fez questão de elogiar a qualidade do atendimento.

“É excelente, a equipe médica nos trata com o maior cuidado e atenção, está sempre nos observando para o caso de qualquer mal-estar. Nem sempre o cidadão vê seu imposto sendo revertido, mas em Queimados a saúde está funcionando. Estou testando o serviço e provando que nessa área o município não tem deixado nada a desejar”, concluiu.


Serviço:

Centro Nefrológico de Queimados (NEFRO)
Rua Manuel Augusto Muguet, 64 – Centro
Telefone: 2663-3342

Instituto Nefrológico de Queimados (INQUE)
Rua 3, s/nº - Lote 01, Q S - Vila Pacaembu
Telefone: 3698-8930

Central de Regulação de Queimados
Rua Onze, s/nº - Pacaembu
Telefone: 2665-6544




Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Próximo post
« Prev Post
Post anterior
Next Post »