Doze pessoas de Nova Iguaçu estavam no barco que afundou em Itaguaí; subiu para seis o número de mortos




Subiu para seis o número de mortos no acidente envolvendo duas embarcações na Baía de Sepetiba, em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio, nesta sexta-feira. 

Segundo os bombeiros, dois novos corpos foram encontrados no início da tarde desta sexta-feira. Mais cedo, o delegado Moysés Santana, titular da 50ª DP (Itaguaí) informou que uma vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital., a informação no entanto ainda não foi confirmada. 


Cinco pessoas estão desaparecidas e dez foram resgatadas.

A família de Lucas Barbosa, de 22 anos, aguarda as buscas do Corpo de Bombeiros.Ele é o dono de um dos barcos que naufragou na noite de ontem, em Itaguaí. De acordo com familiares, o rapaz levava um grupo de doze pessoas para fazer pesca esportiva.

A família de Lucas Barbosa, de 22 anos, aguarda as buscas do Corpo de Bombeiros.Ele é o dono de um dos barcos que naufragou na noite de ontem, em Itaguaí. De acordo com familiares, o rapaz levava um grupo de doze pessoas para fazer pesca esportiva.

Segundo ela, caía uma chuva fraca no início da noite, mas por volta de 19h, eles ouviram um estrondo de tempestade.


Também pescador, Aldo Barbosa, pai de Lucas, disse que o filho saiu para o mar às 18h20m:

- Eu estou sem chão. Desde 19h30m senti um aperto no peito. Ele sempre mandava mensagens do mar.

Os pais e a esposa do serralheiro Pablo Santos, de 30 anos, também aguardam notícias. Ele e mais onze pessoas saíram de Nova Iguaçu por volta de 15h para pescar em Itaguaí e estavam no barco de Lucas.

-Todos do grupo vieram fazer pesca esportiva. Ele fazia isso sempre - relata Alexandra Santos, de 27 anos, esposa dele.

- Meu coração está dizendo que ele está encostado em algum lugar, esperando o resgate. Ele sabe nadar - disse a dona de casa Sonia Lessa, de 53 anos, mãe de Pablo.

A mochila e os documentos dele foram encontrados boiando. Segundo relatos, o barco de Lucas foi encontrado entra a Restinga de Marambaia e o Porto da CSA. O outro barco, encontrado perto da Ilha de Martins, era de Júlio César, conhecido como Luquimonte.

Segundo ela, caía uma chuva fraca no início da noite, mas por volta de 19h, eles ouviram um estrondo de tempestade.

Também pescador, Aldo Barbosa, pai de Lucas, disse que o filho saiu para o mar às 18h20m:

- Eu estou sem chão. Desde 19h30m senti um aperto no peito. Ele sempre mandava mensagens do mar.

Os pais e a esposa do serralheiro Pablo Santos, de 30 anos, também aguardam notícias. Ele e mais onze pessoas saíram de Nova Iguaçu por volta de 15h para pescar em Itaguaí e estavam no barco de Lucas.

-Todos do grupo vieram fazer pesca esportiva. Ele fazia isso sempre - relata Alexandra Santos, de 27 anos, esposa dele.

- Meu coração está dizendo que ele está encostado em algum lugar, esperando o resgate. Ele sabe nadar - disse a dona de casa Sonia Lessa, de 53 anos, mãe de Pablo.

A mochila e os documentos dele foram encontrados boiando. Segundo relatos, o barco de Lucas foi encontrado entra a Restinga de Marambaia e o Porto da CSA. O outro barco, encontrado perto da Ilha de Martins, era de Júlio César, conhecido como Luquimonte.


Via O Globo

Compartilhe nas redes sociais

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS QUE ESTÃO BOMBANDO NO BAIXADA VIVA

Latest
Post anterior
Next Post »